terça-feira, 20 de outubro de 2015

Dia do Poeta

Boa noite.

Hoje, 20 de outubro, dia do poeta. Primeiro venho agradecer todas as felicitações por este dia que recebi. Trago aqui o meu mestre, minha fonte de inspiração, o poeta que comecei a ler poesia, antes mesmo de escrever: Mário Quintana.


Apontamentos de História Sobrenatural

A beleza dos versos impresso em livro
- serena beleza com algo de eternidade - 
Antes que venha conturbá-los a voz das declamadoras.
Ali repousam eles, misteriosos cântaros,
Nas suas frágeis prateleiras de vidro...
Ali repousam eles, imóveis e silenciosos.
Mas não mudos e iguais como esses mortos em suas
                                            [tumbas.
Têm, cada um, um timbre diverso de silêncio...
Só tua alma distingue seus diferentes passos,
Quando o único rumor em teu quarto
É quando voltas, de alma suspensa - mais uma página
Do livro... Mas um verso fere o teu peito como
                                         [a espada de um anjo.
E ficas, como se tivesses feito, sem querer, um milagre...
Oh! que revoada, que revoada de asas!

Autoria: Mário Quintana, Mário Quintana de bolso, Rua dos Cataventos & Outros Poemas, L & PM POCKET, p. 45.


Uma ótima quinta feira a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário